Gestão Ambiental

O Porto de Aveiro encontra-se na foz do Rio Vouga e inserido na Ria de Aveiro, zona dotada de um ecossistema de elevada riqueza e de um património paisagístico natural único a nível nacional e da Península Ibérica.

A preocupação com a preservação e conservação do meio ambiente onde se insere é de extrema importância, pelo que o Porto de Aveiro, em parceria com as mais diversas entidades académicas e empresariais ao nível nacional e internacional, participa em vários projetos e estudos.

Projetos e Estudos Ambientais

  1. Os efeitos das alterações climáticas e a gestão do risco dos seus efeitos nas áreas costeiras 
  2. O ruído subaquático ao longo da costa portuguesa 
  3. As águas de lastro
  4. A qualidade do ar

Qualidade do Ar

Ao nível da qualidade do ar e da emissão difusa de partículas pela movimentação de granéis sólidos, o Porto de Aveiro mantém desde maio de 2016 a monitorização em contínuo da qualidade do ar na envolvente do porto, com especial enfoque na Gafanha da Nazaré, através de uma estação móvel localizada na Escola Básica 2, 3 daquela cidade.

Esta monitorização visa caracterizar com detalhe as fontes emissoras de partículas para a atmosfera, sobretudo aquelas com origem na atividade portuária, de modo a permitir agir no sentido de minimizar, de forma atempada, eventuais focos de poluição que sejam detetados.

A APA, S.A. mantém uma consultoria com o IDAD – Instituto do Ambiente e Desenvolvimento, para a análise e interpretação dos dados de medição e da eventual contribuição da atividade portuária para os resultados obtidos.

Estão ainda a ser desenvolvidos em 2020-2021 estudos complementares à monitorização em contínuo da qualidade do ar, no sentido de melhor caracterizar as fontes emissoras e a efetiva contribuição portuária para a qualidade do ar na envolvente do Porto de Aveiro.

Monitorização da Qualidade do Ar na Envolvente do porto de Aveiro – Ano 2018 Documento não técnico.

Resíduos

O Regulamento de Gestão de Resíduos do Porto de Aveiro estabelece as principais regras aplicáveis à recolha e encaminhamento de resíduos gerados nas áreas portuárias, incluindo os resíduos provenientes dos navios, da movimentação de mercadorias e da administração de espaços, designadamente, áreas urbanas e de serviços com acesso ao público em geral. Dispõe ainda de um procedimento interno onde se encontram estabelecidas as regras aplicáveis aos resíduos produzidos pela APA, S.A.. 

Estes documentos constituem-se como elementos fundamentais à necessária informação dos utilizadores/produtores de resíduos, à garantia do total cumprimento legal, à promoção da recolha seletiva e à criação das condições adequadas ao encaminhamento destes resíduos para destino final, tendo em vista a sua valorização sempre que possível. 

Tendo como objetivo a salvaguarda do ambiente marinho e a redução das descargas indevidas de resíduos perigosos ou persistentes no mar, a gestão de resíduos de navios é objeto de um Plano de Receção e Gestão de Resíduos (PRGR), elaborado nos termos do Decreto-Lei n.º 165/2003, de 24 de julho, na sua redação atual e demais legislação em vigor, o qual está permanentemente disponível para consulta pelas partes interessadas. O plano é composto pelos seguintes documentos:

- Recolha dos resíduos em navios de carga no Porto de Aveiro (PT)

- Recolha dos resíduos em navios de carga no Porto de Aveiro (EN)

- Anexo I – Regulamento de Gestão de Resíduos do porto de Aveiro (PT)

- Anexo II – Regulamento de Tarifas Específico para a Recolha de Resíduos no Porto de Aveiro (PT)

- Formulário de comunicação de alegadas insuficiências dos meios portuários de receção

A remoção de embarcações e equipamentos obsoletos, garantindo o seu encaminhamento para Operadores de Resíduos Autorizados, bem como a limpeza das áreas públicas e remoção dos resíduos abandonados por terceiros na área sob jurisdição portuária constituem preocupações permanentes da Administração Portuária.

A proibição legal do uso de plástico descartável, bem como as metas de redução do consumo do papel e dos consumíveis de impressão (tinteiros e toners), estabelecidas pela Resolução do Conselho de Ministros n.º 141/2018, de 26 de outubro, conduziram à elaboração e implementação de um plano de ação com vista ao cumprimento integral das obrigações impostas, bem como à valorização da economia circular. Em 2019, incluiu, entre outros, a sensibilização dos trabalhadores da APA, S.A., a implementação de novas regras de atuação e a distribuição de copos/garrafas reutilizáveis para substituição dos copos de plástico descartáveis.


 

Qualidade da Água

A APA, S.A. fornece água aos utilizadores do Porto de Aveiro, nomeadamente a instalações fixas de terceiros, a navios, para rega de jardins e para manutenção e limpeza das áreas portuárias.

A APA, S.A. efetua o controlo analítico da água fornecida, disponibilizando aos utilizadores os resultados obtidos. Caso necessite desta informação, por favor, envie e-mail para geral@portodeaveiro.pt.

De modo a garantir a gestão racional deste recurso, a APA, S.A. dispõe de um Plano de Eficiência Hídrica, que inclui um conjunto de ações que têm vindo a ser desenvolvidas, no sentido da redução de perdas e da racionalização de alguns dos consumos, tais como, a rega de jardins e o consumo em edifícios administrativos.

Águas residuais

A APA, S.A. dispõe de redes de drenagem de águas residuais, ligadas ao sistema intermunicipal gerida pela ADRA – Águas da Região de Aveiro, tendo vindo a investir no alargamento destas redes a novas áreas.

Dispõe ainda de pequenos sistemas de tratamento individuais, constituídos por mini-ETAR, fossas séticas e separadores de hidrocarbonetos, nos locais ainda não ligados à rede intermunicipal.

Eficiência Energética

A APA, S.A. utiliza combustíveis, principalmente gasóleo, para abastecimento da sua frota de veículos e de alguns equipamentos portuários.

Por outro lado, a energia elétrica tem um importante peso nos consumos energéticos da empresa, constituindo o principal alvo das ações de racionalização de energia promovidas pela APA, S.A..

Desde 2004 têm sido desenvolvidas múltiplas ações conducentes à redução dos consumos, com particular destaque no domínio da iluminação, auditoria energética e da qualidade do ar interior dos edifícios. Destaca-se em 2015 a obtenção dos certificados energéticos para os edifícios administrativos com atendimento ao público da APA, S.A. e, em 2018, a conclusão do processo de auditoria energética às instalações e à frota da APA, S.A..

Para o triénio 2019-2021, e tendo por base as conclusões da referida auditoria energética, bem como os certificados energéticos dos edifícios, foi prevista a execução de medidas de continuação da melhoria do desempenho energético, tendo em vista a poupança energética e a redução das emissões de CO2, designadamente:

. a modernização dos equipamentos de iluminação pública, com instalação de luminárias com tecnologia LED;

. reforço do sistema electroprodutor pela instalação de mais 120 painéis solares;

. renovação da frota automóvel e instalação de postos de carregamento para a carga das novas viaturas elétricas;

. aumento da eficiência energética dos edificados desta Administração.

Ruído

A APA, S.A. monitoriza o ruído ambiental da atividade portuária, constatando-se que o tráfego rodoviário na via de cintura portuária constitui a principal fonte emissora de ruído.

Tem surgido uma nova preocupação com o ruído subaquático sobre o qual o conhecimento ainda é insuficiente. No sentido de ajudar a colmatar esta lacuna, a APA, S.A., em parceria com diversas entidades, integra, como parceiro associado, o projeto “Joint Action: A Stepping-stone for underwater noise monitoring in Portuguese waters – jUMP”.

Pretende-se com este projeto contribuir para o “Estudo do ruído subaquático e avaliação do cumprimento das convenções internacionais (IMO/UE), desenvolvendo ainda ferramentas web para mapeamento do ruído subaquático ao longo da costa portuguesa e da distribuição das espécies sensíveis ao ruído. https://www.sonicsea.org/watch-now

Biodiversidade

O porto de Aveiro localiza-se no interior de uma unidade territorial singular, designada por Ria de Aveiro. Trata-se de uma zona húmida costeira, com uma área superior a 90 km2, em preia-mar, onde se cruzam áreas naturais, que incluem zonas de sapal e águas livres, com áreas urbanas e industriais.

A pressão exercida por estas últimas nem sempre é assimilada facilmente pelo ecossistema. A Ria de Aveiro encontra-se incluída na Reserva Ecológica Nacional, tendo-lhe sido conferida, em 1999, o estatuto de Zona de Proteção Especial (ZPE), ao abrigo da Diretiva das Aves (Diretiva 79/409/CEE), visando a proteção e conservação da avifauna da Ria de Aveiro.

Na área de jurisdição da APA, S.A., com cerca de 1.700 hectares, 1.277 hectares estão abrangidos pela referida ZPE, mantendo-se como área naturalizada cerca de 1.150 hectares, incluindo obviamente a área molhada constituída pelos canais e bacias portuárias.

01

As restantes zonas do porto, localizadas no exterior da área limitada pela Zona de Proteção Especial, não deixam de estar localizadas em área adjacente à mesma. Por este motivo, a sensibilidade do meio envolvente é uma das condicionantes permanentemente consideradas nas ações de desenvolvimento e expansão do porto, bem como na regular operação portuária.

No âmbito da preservação ambiental e de minimização de impactes, são executados os Planos de Monitorização e os Estudos associados aos processos de AIA – Avaliação de Impacte Ambiental e às Declarações de Impacte Ambiental das obras executadas pela APA, S.A, nomeadamente, a monitorização da hidrodinâmica, as caracterizações de sedimentos, qualidade da água e das comunidades bentónicas, bem como o estudo da evolução sedimentar e batimétrica da linha de costa, cujo objetivo é o de avaliar e caracterizar a evolução batimétrica da linha de costa, desde a zona a barlamar do Molhe Norte até à Vagueira.

É ainda de salientar a contribuição da APA, S.A. para o reforço do cordão dunar, pela imersão direta de dragados no mar, a sul do molhe sul, provenientes da manutenção de fundos da embocadura e dos canais portuários e ainda pela cedência de inertes para projetos de índole ambiental, desenvolvidos em parceria com a Agência Portuguesa do Ambiente, de que é exemplo o projeto conjunto com o Ministério do Ambiente e da Ação Climática, o que irá permitir efetuar um “shot” de 2.755 mil metros cúbicos de sedimentos na deriva litoral a sul do molhe sul, com recursos a sedimentos portuários. Estas medidas têm como objetivo contrariar e/ou minimizar os efeitos da erosão costeira que se fazem sentir no litoral.

O processo de adaptação às alterações climáticas nos vários instrumentos de planeamento das atividades portuárias é também particularmente importante para a APA, S.A.

Esta Administração participa, enquanto parceiro associado, num projeto europeu designado “ECCLIPSE – Avaliação das alterações climáticas em portos do sudoeste da Europa. Este projeto centra-se na análise do impacte das alterações climáticas nos portos marítimos e no desenvolvimento de estratégias de prevenção e ação que minimizem os seus efeitos.

Relatórios de Sustentabilidade

2018
parecer
relatório
Não desponivel
2017
parecer
relatório
Não desponivel
2016
parecer
relatório
Não desponivel

Receba no seu email apenas
informações personalizadas
sobre o Porto de Aveiro.

SUBSCREVER NEWSLETTER